quinta-feira, 23 de abril de 2009

não sabes o que eu sei de ti.





dei por ti nem sei como...
apareceste como de luz se tratasse...
qd não estás vejo-me as apalpadelas do que sou, do que sinto, e donde estou
és os meu norte.
o meu sal.
a minha bússola.
a minha árvore.
a minha raíz.
és sem o saberes que és...
dei por ti a ires...
dei por ti sem estares...
e estás...
estarás...
serás...

sexta-feira, 17 de abril de 2009

quinta-feira, 16 de abril de 2009

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Não se esqueça de mim...




Onde você estiver, não se esqueça de mim

Com quem você estiver não se esqueça de mim

Eu quero apenas estar no seu pensamento

Por um momento pensar que você pensa em mim

Onde você estiver, não se esqueça de mim

Mesmo que exista outro amor que te faça feliz

Se resta, em sua lembrança, um pouco do muito que eu te quis

Onde você estiver, não se esqueça de mim

Eu quero apenas estar no seu pensamento

Por um momento pensar que você pensa em mim

Onde você estiver, não se esqueça de mim

Quando você se lembrar não se esqueça que eu

Que eu não consigo apagar você da minha vida

Onde você estiver não se esqueça de mim



pra ti que tão breve chegaste e foste.

quarta-feira, 8 de abril de 2009

onde estão as PESSOAS?

melancolia es

Onde estás?!!...




Levados somos todos, pela vontade...levados somos todos, pelo sonho, e pelo fim da jornada...
A vontade de poder cessar o espírito no repouso do finalmente encontrado é o sarilho.
Seguimos, porque não conseguimos, não saber, o que nos espera além... mas sabemos sempre, que nos trará paz e guerra.
Procuramos sempre o que nos falta e nessa procura, encontramos sempre o que não procuramos...
Tantas vezes o que não queremos vem com a leveza do vento e com inocência perversa, conduz-nos ao beco das vontades...
Teremos nós de deixar de procurar, para encontrar?!!...ou não saberemos nós procurar?
Acredito que não é na procura que se encontra, mas no encontro, a revelação da procura...
Pois, a constância das vontades e dos desejos de plenitude, são farsantes. Iludem-nos na demanda da vida.
Ela, sabe... ela dá com que lidar... com que entreter...brinca e ri. ri da marioneta que cria, que ilude.
Onde estás, tu, que te procuro?... Onde estás, tu, que não te encontro? Onde estás?...