quarta-feira, 11 de abril de 2007

GANESHA...O MEU OUTRO DEUS...






No Hinduísmo, Ganesha (Sânscrito: गणेश ou श्रीगणेश (quando usado para distinguir status de Senhor) (ou "senhor dos obstáculos," o seu nome é também escrito como Ganesa e Ganesh, algumas vezes referido como Ganapati) é uma das mais conhecidas e veneradas representações de deus.

Ele é o primeiro filho de Shiva e Parvati, e o "esposo" de Buddhi (também chamada Riddhi) e Siddhi. Ele é chamado também de Vinayaka em Kannada, Malayalam e Marathi, Vinayagar e Pillayar (em Tamil), e Vinayakudu em Telugu. 'Ga' simboliza Buddhi (intelecto) e 'Na' simboliza Vijnana (sabedoria).
Ganesha é então considerado o mestre do intelecto e da sabedoria.

Ele é representado como um deus amarelo ou vermelho, com uma grande barriga, quatro braços e a cabeça de elefante com uma única presa, montado num rato.

Ele é frequentemente representado sentado, com uma perna levantada e curvada por cima da outra.
Tipicamente seu nome é prefixado com o título Hindu de respeito 'Shri' ou Sri.
Ganesha é o símbolo das soluções lógicas, e deve ser interpretado como tal.

O Seu corpo é humano enquanto que a cabeça é de um elefante, e ao mesmo tempo,o seu transporte (vahana) é um rato.
Desta forma Ganesha representa uma solução lógica para os problemas, ou "Destruidor de Obstáculos". Sua consorte é Buddhi (um sinônimo de mente) sendo adorado junto de Lakshmi (a deusa da abundância) pelos mercadores e homens de negócios.

A razão sendo a solução lógica para os problemas e a prosperidade são inseparáveis.
O culto de Ganesha é amplamente difundido, mesmo fora da
Índia. Seus devotos são chamados Ganapatyas.

Em termos gerais, Ganesha é uma divinidade muito amada e frequentemente invocada, já que é o Deus da Boa Fortuna que proporciona prosperidade e fortuna é também o Destruidor de Obstáculos de ordem material ou espiritual.

É por este motivo que a sua graça é invocada antes de iniciar qualquer tarefa (por exemplo, viajar, prestar uma prova, realizar um assunto de negócios, uma entrevista de trabalho, realizar uma cerimónia) com
Mantras como: Aum Shri Ganeshaya Namah (salve o nome de ganesha), ou similares.

É também por esse motivo, que tradicionalmente, todas as sessões de bhajan (cântico devocional) se iniciam com uma invocação de Ganesha, o Senhor dos "bons inícios".
Por toda a Índia de cultura hindu, o Sennhor Ganesha é o primeiro ídolo colocado em qualquer nova casa ou templo.
Além disso, Ganesha é associado com o primeiro
chakra, que representa o instinto de conservação e sobrevivência e de procriação.

Atributos Corporais

Cada elemento do corpo de Ganesha tem seu próprio valor e seu próprio significado:
A cabeça de elefante indica fidelidade, inteligência e poder discriminatório;

O facto dele ter apenas uma única presa (a outra estando quebrada) indica a habilidade de Ganesha de superar todas as formas de
dualismo;

As orelhas abertas denotam sabedoria, habilidade de escutar as pessoas que procuram a sua ajuda servindo também para refletir verdades espirituais.

Elas simbolizam a importância de escutar para poder assimilar idéias,e ganhar conhecimento. As grandes orelhas indicam que quando Deus é conhecido, todo conhecimento também o é;

A tromba curvada indica as potencialidades intelectuais que se manifestam na faculdade de discriminação entre o real e o irreal;

Na testa, o
Trishula (arma de Shiva, similar a um Tridente) é desenhado, simbolizando o tempo (passado, presente e futuro) e a superioridade de Ganesha sobre ele;


A barriga de Ganesha contém infinitos universos. Ela simboliza a benevolência da natureza e equanimidade, a habilidade de Ganesha de sugar os sofrimentos do Universo e de proteger o mundo;

A posição das suas pernas (uma descansando no chão e a outra em pé) indica a importância da vivência e participação no mundo material assim como no mundo espiritual, a habilidade de viver no mundo sem ser do mundo.

Os quatro braços de Ganesha representam os quatro atributos do
corpo súbtil, que são: mente (Manas), intelecto (Buddhi), ego (Ahamkara), e consciênscia condicionada (Chitta).
O Senhor Ganesha representa a pura consciência - o Atman - que permite que estes quatro atributos funcionem em nós;

A mão que segura uma machadinha, é um símbolo da restrição de todos os desejos, que trazem dor e sofrimento. Com esta machadinha Ganesha pode repelir e destruir os obstáculos. A machadinha é também para levar o homem para o caminho da verdade e da retidão;

A segunda mão segura um chicote, símbolo da força que leva o devoto para a eterna beatitude de Deus. O chicote fala-nos que os apegos mundanos e desejos devem ser deixados de lado;

A terceira mão, que está em direção ao devoto, está numa pose de bênçãos, refúgio e protecção (
abhaya);

A quarta mão segura uma flor de lótus (
padma), e ela simboliza o mais alto objectivo da evolução humana, a realização do seu verdadeiro eu.

Ganesha é também definido como Omkara ou Aumkara, que significa "tendo a forma de Om (ou Aum). De facto, a forma do seu corpo é uma cópia do traçado da letra Devanagari que indica este grande Bija Mantra. Por causa disso, Ganesha é considerado a encarnação corporal do Cosmos inteiro, Ele que está na base de todo o mundo fenomenal (Vishvadhara,Jagadoddhara).
Além disso, na Linguagem Tamil, a sílaba sagrada é indicada precisamente por uma letra que relembra o formato da cabeça de Ganesha.

A presa quebrada de Ganesha, como descrita acima, simboliza inicialmente a sua habilidade de superar ou "quebrar" as ilusões da dualidade. Porém, existem muitos outros sentidos que têm sido associados a este símbolo.

Um elefante normalmente tem duas presas. A mente também frequentemente propõe duas alternativas: o bom e o mau, o excelente e o expediente, facto e a fantasia. A cabeça de elefante do Senhor Ganesha porém tem apenas uma presa por isso ele é chamado "Ekadantha," que significa "Ele que tem apenas uma presa", para lembrar a todos que é necessário possuir determinação mental.

De acordo com uma interpretação, o divino veículo de Ganesha, o rato ou mushika representa sabedoria, talento e inteligência. Ele simboliza investigação diminuta de um assunto difícil. Um rato vive uma vida clandestina nos esgotos. Então ele é também um símbolo da ignorância que é dominante nas trevas e que teme a luz do conhecimento.
Como veículo do Senhor Ganesha, o rato ensina-nos a estar sempre alerta e a iluminar o nosso eu interior com a luz do conhecimento.

Ambos Ganesha e Mushika amam
modaka, um doce que é tradicionalmente oferecido para os dois durante cerimónias de adoração.
O Mushika é normalmente representado como sendo muito pequeno em relação a Ganesha, em contraste para as representações dos veículos das outras divindades.

Porém, já foi tradicional na arte Maharashtriana representar Mushika como um rato muito grande, e Ganesha estando montado nele como se fosse um cavalo.

Outra interpretação diz que o rato (Mushika ou Akhu) representa o
ego, a mente com todos os seus desejos, e o orgulho da individualidade.
Ganesha, guiando sobre o rato, se torna o mestre (e não o escravo) dessas tendências, indicando o poder que o intelecto e as faculdades discriminatórias têm sobre a mente.

O rato (extremamente voraz por natureza) é frequentemente representado próximo a uma bandeja de doces com seus olhos virados em direção de Ganesha, enquanto ele segura um punhado de comida entre as suas patas, como se esperasse uma ordem de Ganesha.

Isto representa a mente que foi completamente subordinada à faculdade superior do intelecto, a mente sob estrita supervisão, que olha fixamente para Ganesha e não se aproxima da comida sem a sua permissão.